Ombro-Cabeça-Ombro Invertido : análise técnica, como investir na bolsa de valores (Bovespa)

Ombro-Cabeça-Ombro Invertido

Ombro-Cabeça-Ombro Invertido (O.C.O.I.)

O que é, como usar e como analisar esse padrão gráfico da análise técnica (análise gráfica).

Na última lição começou-se a abordar a temática dos gráficos padrão. O gráfico analisado foi o gráfico «A cabeça e os ombros». Para este gráfico, tipicamente exemplificativo de um contexto de inversão de tendência, existe o seu simétrico. O gráfico «Cabeça e Ombros invertidos» (OCOI) ocorre numa situação de inversão de tendência em que o título passa de uma zona bearish a uma zona bullish. A cabeça e os ombros correspondem a mínimos da cotação do título. Geralmente, sempre que se atingem esses mínimos, o volume diminui, pois os vendedores não estão na disposição de vender os seus títulos a esse preço.

cabeça ombro cabeça invertido

Após o segundo ombro, quando a cotação do título quebra a linha de pescoço, o volume tipicamente aumenta. Os bulls tomam conta do mercado exercendo uma pressão compradora que leva à alta da cotação do título. O título entra então na zona bullish.

Seu nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Sua mensagem (opcional):
Nome: Seu Email: (não será Publicado)
Site: (opcional)
Nofiticar por e-mail novos comentários neste tópico.

Rafael comentou:

Excelente exemplo, achei muito bom bem explicado pelo menos para um iniciante como eu..

Parabéns..!!!


 
Publicidade

Aproveito a oportunidade para lançar uma breve discussão sobre os swaps, uma modalidade de aplicação financeira pouco utilizada no Brasil mas que nos afeta diretamente.  Swap significa troca, nesse caso, de  dois ativos com retornos e riscos diferentes. Atualmente esta havendo uma grande reversão dos swaps de moedas que, de forma célere, revela-se bastante nefasta para muitas economias...

A frase de Charles Dow, “a tendência é tua amiga”, definiu para sempre como se deve operar num mercado de movimentos aleatórios ou incertos. Infelizmente, muitas vezes, a tendência do mercado contraria nosso desejo de operar a qualquer momento, como se o mercado estivesse sempre favorável a nossa pretensão de comprar ou de vender...

Quem opera o mercado financeiro e usa gráficos para analisar ativos, sabe como é frustrante determinar a direção dos preços. A confusão emana do desejo de examinar os gráficos em diferentes períodos. Sabemos que um gráfico visto com velas de um determinado tempo, pode indicar uma direção diferente daquela com velas de outro período...

Considero o alinhamento automático a forma mais segura para entender o movimento dos preços das ações. No último artigo desta série prometi que usaria alguns gráficos para ilustrar essa metodologia. Alinhando os movimentos com os gráficos, podemos eliminar as contradições que muitas vezes ocorrem entre os movimentos de preços de períodos diferentes e enganam o operador.

Há uma grande discussão nas universidades que já perdura por algum tempo sobre a racionalidade e a eficiência dos mercados. Os temas são complexos e importantes para quem deseja investir e quer saber se o preço de uma determinada ação está alto ou está baixo...