O Perigo da Certeza num Mundo Incerto Ações Opções Análise Técnica Investimentos: análise técnica, como investir na bolsa de valores (Bovespa)

O Perigo da Certeza num Mundo Incerto

Professor Metafix

O Perigo da Certeza num Mundo Incerto Reflexões para o Fim de Semana

Procuramos tanto pela certeza das coisas para não errar que cometemos o maior de todos os erros; a certeza do que vai acontecer. Shakespeare na peça, O mercador de Veneza, afirma jocosamente, que se os judeus continuarem convertendo-se ao cristianismo a carne de porco vai aumentar! A afirmativa é jocosa, sem duvida, mas indica muito bem como lançamos mãos de dados parciais e absurdos pra provar nossa crença como se ela fosse a coisa mais importante do mundo. Ultimamente presenciamos tantas indicações sobre o futuro da economia que assustam até aqueles que sabem que o futuro é tão incerto que o melhor caminho é não fazer previsões ou dar ouvido a quem faz.

Atualmente a mídia americana tem exagerado tanto que tentou atribuir as últimas quedas da bolsa à gripe suína! Isso foi antes da Chrysler pedir concordata. Hoje, se o mercado de ações cair, talvez os arautos da verdade mudem de explicação, vamos ver.

Os grandes investidores e fundos de hedge trabalham com diferentes cenários e probabilidades. Mesmo assim esses, quando levados pelo sucesso, também erram tanto pelo lado da certeza que perdem sem entender porquê. E quando isso acontece, surgem as mais belas e inteligentes justificativas antes ignoradas pelos mesmos especuladores.

"É justamente as pequenas e remotas probabilidades que sorrateiramente derrubam os grandes negócios" Não podemos esquecer de que a probabilidade de 10 por cento de algo acontecer é realmente pequena quando não acontece, mas quando acontece é cem por cento do acontecido! É justamente as pequenas e remotas probabilidades que sorrateiramente derrubam os grandes negócios.

Em qualquer distribuição de dados ou de eventos existem os desvios e variança de resultados ao redor de uma média ou valor esperado. Quanto maiores forem esses desvios maior é o risco, por isso, a variança é sempre utilizada como medida de risco. Ao longo do tempo, por razões cheias de explicações, mas pouco entendidas, os preços das ações variam bastante. E, de vez em quando, e com menos explicações ainda, a variança aumenta tanto que o mercado entra em vibrações intensas que dão lugar as mas estapafúrdias explicações para essas alterações.

"Alguns acham que quando a probabilidade de um evento acontecer é muito baixa, ela não acontecerá." Mesmo quando não conseguimos calcular a probabilidade, não custa nada trabalhar com o conceito dela. Alguns acham que quando a probabilidade de um evento acontecer é muito baixa, ela não acontecerá. Baixa probabilidade pode levar investidores a criarem um ambiente de euforia e de certeza até o ponto de bolha. Isto é, quanto mais próximo da bolha estourar, maior é certeza de que ela não vai estourar. Isso leva muitos a tomarem decisões absurdas que naquele momento parecem sensatas. Essas, às vezes, exigem muita reflexão e análise que não seriam possíveis antes da catástrofe. Quando o nível de certeza é muito grande, críticas que são possíveis depois não poderiam ser feitas antes.

Paralelamente, existem aqueles que esquecem que dentro da variança existem os chamados eventos raros ou – outliers- de baixa probabilidade. Estes, quando acontecem, provocam estragos comparados aos maremotos. Este é o momento da reflexão sobre o que fazer com os pedaços do que restou do tsunami. O banho quente deixa todos os gatos com medo da água fria aguardando iniciativa dos outros para depois decidir onde investir.

Os especuladores não tem realmente qualquer idéia sobre o destinho da economia. Por isso, as decisões devem ser de curtíssimo prazo e aguardar o novo rumo que todas as economias tomarão. Essa nova direção definirá que tipo de economia e setores prevalecerão no “day after”. Por enquanto, vamos aproveitando as oportunidades passageiras, elas são muitas, mas estão recuando do antigo padrão que induziu a maioria a perder com investimentos em ações. O que era sensato, agora ficou claro que não poderia ser. Isso poderá ser suficiente para ditar novos padrões de consumo, investimentos e gastos públicos. Estes são pontos pra refletir enquanto procuramos aqueles ganhos de curto prazo.

Professor Metafix

Seu nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Sua mensagem (opcional):
Nome: Seu Email: (não será Publicado)
Site: (opcional)
Nofiticar por e-mail novos comentários neste tópico.

 
Publicidade

O mercado financeiro é cheio de contradições. Os conflitos são constantes porque encerram nossos desejos instáveis de atuar como compradores e como vendedores. Enquanto nos outros mercados, os compradores aguardam os preços caírem pra comprar mais barato...

Existe uma discussão acirrada entre aqueles que acreditam que a bolsa de valores é um cassino, e os que acham que não. A verdade é que tanto a bolsa como o cassino são bem parecidos por dois motivos; ambos trabalham com probabilidade, e os dois provocam transferência de renda entre os parceiros de negócio. Entretanto...

Nesta nota vamos analisar como num dia de operação o investidor pode aumentar os ganhos num montante que daria inveja a qualquer robot dos “High frequence traders” – jogadores de alta frequência.

Jesse Livermore talvez seja o especulador mais conhecido do mercado americano. Muitos especuladores já incorporaram as lições dele porque elas são lógicas e fazem sentido. Com muita paciência ele só entrava na hora certa como uma serpente que sabe dar o bote, mas não sai correndo atrás da presa.

Quem nunca se enganou lendo gráficos de ações ou de outros ativos financeiros, levante as mãos! Enganamo-nos pelo desejo de encurtar caminho. Esse comportamento faz parte da luta inexorável para melhorar a vida o mais rápido possível, mas cometemos erros. A tentativa dos grafistas para inventar padrões gráficos em busca de significados diferentes faz parte dessa...