9. Liquidar operações com Derivativo Ações Opções Análise Técnica Investimentos: análise técnica, como investir na bolsa de valores (Bovespa)

9. Liquidar operações com Derivativo

Liquidar operações com Derivativo

As operações com derivativos não-padronizados são liquidadas diretamente entre as partes contratantes, sendo os riscos de não-cumprimento das obrigações dos contratos assumidos por ambas as partes, sem o amparo de sistema de garantia que assegure o cumprimento do contrato.

As operações com derivativos padronizados são liquidadas em câmaras de compensação ligadas às bolsas ou a sistemas de negociação cuja estrutura de garantias garante o cumprimento de todas as obrigações assumidas pelas partes.

Independentemente de a operação ser padronizada ou não, há duas formas de liquidação: financeira e física.

Liquidação financeira: é feita por diferença financeira. Utilizando-se o preço de referência, no dia de vencimento do contrato, registram-se uma venda para o comprador original e uma compra para o vendedor original. A diferença apurada é liquidada entre as partes, sem que haja entrega física do ativo negociado.

Liquidação física: o negócio é liquidado mediante a entrega física do ativo negociado.

A liquidação física, mais comum nos mercados agropecuários e de energia, consiste na entrega física do ativo em negociação na data de vencimento do contrato.

Em muitas situações, a liquidação física pode ser muito dispendiosa ou, ainda, indesejável, pois o participante pode não ter nenhum interesse pelo ativo- objeto, sendo seu único intuito a obtenção do valor do diferencial entre a compra e a venda desse ativo (especuladores). Nesses casos, opta pela liquidação financeira.

Alguns contratos admitem ambas as formas de liquidação, mas a maior parte admite apenas a liquidação financeira.

Exemplo de liquidação por diferença financeira

Negociação de dez contratos de compra e venda a termo de café a R$100,00/ saca: o tamanho do contrato é de 100 sacas de 60kg; e a cotação da saca no final da safra, de R$90,00.

a) Qual é o resultado da operação para o comprador e para o vendedor?

Para o comprador:
10 × (100 × R$90,00) – 10 × (100 × R$100,00) = –R$10.000,00

Para o vendedor:
10 × (100 × R$100,00) – 10 × (100 × R$90,00) = +R$10.000,00

Isto é, o comprador pagará R$10.000,00 ao vendedor.

b) Se a cotação (preço de referência) no mercado a vista fosse de R$110,00,

qual seria o resultado?
Para o comprador:
10 × (100 × R$110,00) – 10 × (100 × R$100,00) = +R$10.000,00

Para o vendedor:
10 × (100 × R$100,00) – 10 × (100 × R$110,00) = –R$10.000,00

Isto é, o vendedor pagará R$10.000,00 ao comprador.

Seu nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Sua mensagem (opcional):
Nome: Seu Email: (não será Publicado)
Site: (opcional)
Nofiticar por e-mail novos comentários neste tópico.

 
Publicidade

Esta ferramenta permite escolher as melhores opções para as operações de venda coberta (lançamento coberto - financiamento).

Todos os dia alguém me pergunta se as ações vão subir ou vão cair? Tenho duas respostas para esse tipo de pergunta: uma é irônica, a outra é muito séria. Esta deveria ser a única mas, ai não teria graça! Ninguém quer errar, mesmo quando se antecipa os fatos. Eu também não quero e antecipo os acontecimentos com uma profecia infalível...

Publico este de modo que possa ser útil a quem quiser saber mais sobre o tema. O assunto é complexo, mas vou tentar colocar de forma breve, mas extensiva a todos interessados.

Aproveito a oportunidade para esclarecer que o alinhamento automático serve pra mostrar com mais clareza a direção do mercado...

Segundo o velho ditado americano, existem vinte maneiras para se esfolar um gato. Na bolsa de valores, existem muitas maneiras para se acertar a direção dos preços, algumas são mais lógica do que outras e todas ajudam a ganhar dinheiro na compra e venda de ações. E para complementar com outro adágio, já que está na moda...