Estratégia de opções: Trava de Baixa (Reversão) Análise Técnica Investimentos: análise técnica, como investir na bolsa de valores (Bovespa)

Estratégia de opções: Trava de Baixa (Reversão)

Estratégia de opções: Trava de Baixa (ou Reversão)

Também conhecida como reversão ou "call bear spread", a estratégia trava de baixa consiste em vender uma opção com preço de exercício mais baixo e comprar a mesma quantidade de opção com preço de exercício mais alto. É uma estratégia para ganhar com a queda do mercado, onde o retorno máximo é o que se recebe ao montar a operação e o risco máximo limitado.

Exemplo: –1000 PETRA40 +1000 PETRA42, o risco seria 2000 menos o que foi recebido (spread), se –1000 PETRA40 +1000 PETRA44, o risco seria 4000 menos o recebido.

A reversão ATM é a mais utilizada, pois ganha nas quedas e na acumulação. Quando a operação está no lucro pode ser rolada para baixo, montando a trava mais abaixo, recebendo mais dinheiro e garantindo o lucro. Ou pode simplesmente zerar a operação. O importante é garantir o lucro!

A reversão pode ser também coberta, defendendo uma carteira de ações com muita eficiência nas quedas (pode-se fazer mais de uma reversão, ao contrário do lançamento coberto) e na alta o ativo sobe mais do que se perde na trava de baixa.

Exemplo: o operador que possui 1000 PETR4 e monta -3000 PETRC38 +3000
PETRC40 está defendendo sua carteira com três reversões.

Exemplo de trava de baixa no simulador de opções:

Ponto de Equilíbrio = preço de exercício da opção vendida + valor recebido na montagem
Ponto de Equilíbrio = -1000PETRD76 + R$ 1.070,00
Ponto de Equilíbrio = R$ 76,00 + R$ 1.070,00 = R$ 77,07
Abaixo de R$ 77,07 teremos um ganho máxima de até R$ 1.070,00, no exercício.
Acima de R$ 77,07 teremos uma perda máxima de até R$ 930,00, no exercício.

Seu nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Sua mensagem (opcional):
Nome: Seu Email: (não será Publicado)
Site: (opcional)
Nofiticar por e-mail novos comentários neste tópico.

 
Publicidade

Considero o alinhamento automático a forma mais segura para entender o movimento dos preços das ações. No último artigo desta série prometi que usaria alguns gráficos para ilustrar essa metodologia. Alinhando os movimentos com os gráficos, podemos eliminar as contradições que muitas vezes ocorrem entre os movimentos de preços de períodos diferentes e enganam o operador.

O mercado financeiro é cheio de contradições. Os conflitos são constantes porque encerram nossos desejos instáveis de atuar como compradores e como vendedores. Enquanto nos outros mercados, os compradores aguardam os preços caírem pra comprar mais barato...

Quem nunca se enganou lendo gráficos de ações ou de outros ativos financeiros, levante as mãos! Enganamo-nos pelo desejo de encurtar caminho. Esse comportamento faz parte da luta inexorável para melhorar a vida o mais rápido possível, mas cometemos erros. A tentativa dos grafistas para inventar padrões gráficos em busca de significados diferentes faz parte dessa...

Somos fascinado pelo o sucesso. A força psicológica da vitória é tão grande que exageramos os ganhos e escondemos as perdas nas bolsa de valores e em outros afazeres. Embora a realidade numérica seja outra, pois em todos campos de atividades existem mais perdedores do que ganhadores; mesmo assim, não gostamos de lembrar das perdas...

Esse indicativo pode nos chamar a atenção para algum ativo com boa formação de suporte ou resistência, criando possibilidades de compra ou venda.