Autocontrole e o Timing das Jogadas. Ações Opções Análise Técnica Investimentos: análise técnica, como investir na bolsa de valores (Bovespa)

Autocontrole e o Timing das Jogadas.

Professor Metafix

 Autocontrole e o Timing das Jogadas.

O mercado financeiro é cheio de contradições. Os conflitos são constantes porque encerram nossos desejos instáveis de atuar como compradores e como vendedores. Enquanto nos outros mercados, os compradores aguardam os preços caírem pra comprar mais barato, no mercado financeiro, muitos investidores ficam roendo as unhas esperando os preços aumentarem antes de abrir posição. Apesar de poder entrar vendendo ou comprando a maioria não tem condições de vender e nem tem certeza de quando comprar. O cerne do problema é que muitos não têm uma estratégia que leve em consideração o tempo das operações dentro da tendência.

Muitos perdem oportunidades porque não controlam as jogadas e não controlam as jogadas porque não esperam as oportunidades. Para maioria, o timing é um conceito distante como um estrela inatingível. A ansiedade para comprar antes da hora e a teimosia para sair depois da hora gera um círculo vicioso que alimenta o desejo intempestivo para operar. Infelizmente, muitos querem operar de qualquer jeito e compram dentro de movimentos ascendentes contra tendência decadentes sem esperar pelo alinhamento dos dois.

Alguns puristas só trabalham com tendência diária e rejeitam a idéia de se utilizar períodos diferentes para aproveitar os movimentos menores de curto prazo. Entretanto, um movimento curto, com barras diárias pode ser desdobrado numa tendência com barras de meia hora ou de 15 minutos! A comparação de gráficos de curta duração, com tempos maiores, esclarece a direção dos preços e dá firmeza às operações.

Quem opera acompanhando o mercado com gráficos de uma hora deve trabalhar com tendência de uma hora e alinhar com outra em preços no diário ou no semanal. E quem gosta de operar no diário, deve usar tendência nesse período alinhando com outra maior, no semanal ou no mensal. Devemos ter paciência para aproveitar as retrações alinhando-as com outros movimentos de períodos diferentes. As retrações bem aproveitadas dão bons resultados até em operações de day trading.

Sabemos que as tendências formam movimentos pautados por ondas menores que representam recuos ou retrações. Existem movimentos que duram meses, outros levam apenas alguns dias até minutos pra mudar de direção. Podemos aproveitar até as ondas de 15 minutos ou meia hora pra fazer day trade. Quando as variações são pequenas e incertas, seria melhor pescar do que operar. Porém, sempre podemos identificar essas ondas. Os movimentos recentes indicam com grande probabilidade o que pode vir depois. Essa é a grande vantagem dos gráficos; eles permitem se aproveitar os pequenos movimentos que são congruentes com a tendência principal.

Muitos, para alegria de poucos, preferem trabalhar com metas irreais e formações pouco produtivas; mantendo posições abertas esperando atingir certo nível de lucratividade sem prestar atenção a direção dos preços num movimento maior. Infelizmente, a única coisa que temos garantido no mercado é o tempo. Não podemos controlar as mudanças dele, mas podemos usá-las a nosso favor. Para fazer isso, precisamos abdicar da nossa liberdade para operar quando dá na veneta. Este é o cerne da questão. Tudo é relativo! Quando não for possível parar o tempo, podemos, pelo menos, parar e esperar por ele.

Destarte, a variável tempo pode ser nossa amiga ou inimiga. Mas ela não estabelece o nível de empatia de nossa amizade, nós é que decidimos. Na maioria das vezes, escolhemos o tempo errado contrariando o que temos de mais precioso no mercado. O autocontrole para operar no momento apropriado é muito importante. Ele eleva a autoestima e aumenta nossa lucratividade sem subterfúgios ou sentimentos infundados de que esse ou aquele grupo está manipulando o mercado.

Consequentemente, escolhendo o tempo em que devemos operar, controlamos nossos impulsos. Estes adoram a liberdade de agir sem regras ou limites. Vigiar é preciso, pois os desejos estão quase sempre fora de sintonia com o tempo e as variações do mercado. Infelizmente, tudo que fazemos na vida requer um quadro de referência e disciplina para se manter dentro de limites apropriados. A solução fica bem mais fácil quando ajustamos nossos impulsos a um quadro de referência lógico como o alinhamento dos movimentos de preço.

Operar o mercado é como lutar contra inimigos invisíveis; temos três componentes inseparáveis: o operador, as armas e o campo de luta. O investidor deve se auto examinar para identificar as forças e as fraquezas tanto internas como externas. Depois, desenvolver e afiar as armas ou a metodologia de trabalho. E por fim, identificar os limites dentro do quadro de referência onde desejamos operar. A tendência mostra os limites e indica quando deveríamos operar. Entendido isso, partimos pra fortalecer as forças de apoio e rejeitar aquelas que contrariam a lógica do sistema.

Reconhecendo as tentações e os desejos intempestivos, Charles Dow há tempos avisou – the trend is your friend. A tendencia é nossa amiga mas agimos como se ela fosse nossa inimiga. Os resultados são desastrosos pra aqueles que não entendem que em todo tipo de negócio o tempo é nosso amigo, e no mercado financeiro, a tendência é o nosso quadro de referência.

O timing de qualquer luta determina sucesso ou derrota. Antigamente os generais consultavam os oráculos para determinar o melhor tempo para lutar. No mercado precisamos consultar a direção dos movimentos dos preços, os fundamentos do mercado e do ativo que desejamos operar. E, acima de tudo, agir somente quando o momento indicado pela tendência e os movimentos menores dentro dela estiverem alinhados.

O tempo não conjura contra nós, mas nós o ameaçamos intermitentemente com indiretas do tipo – o mercado é manipulado ou, o mercado não tem lógica, é imperfeito demais. Essas acusações representam desculpas para fugir do autocontrole. Elas são bumerangues perigosos que se arremessam contra operadores descontrolados. O resultado é contraditório. Sem um quadro de referência para obedecer o tempo, erramos o alvo e lutamos em vão, patinando na arreia movediça de nossas emoções.

Entretanto, se usarmos uma tendência dentro de qualquer período escolhido quer seja de hora, dias ou semanas, os osciladores e indicadores gráficos mostrarão com clareza as mudanças na direção dos preços. Esse é o quadro de referência que precisamos. O alinhamento é uma forma lógica e elegante de eliminar as dúvidas. Consultas às notícias, que podem indicar mudanças nos fundamentos do ativo, corroboram e aumentam o nível de informação essencial às boas decisões. Mas elas não eliminam a falta de controle pessoal. Essa é a parte mais difícil, pois entre o computador e o mercado fica o operador que sempre será influenciado pelas forças da emoção. Boa Sorte!

Prof. Metafix

Seu nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Sua mensagem (opcional):
Nome: Seu Email: (não será Publicado)
Site: (opcional)
Nofiticar por e-mail novos comentários neste tópico.

Claudio comentou:

Texto excelente! Traduz com eficiência uma das maiores fraquezas do operadores. As emoções trazidas ao mercado no momento de operar, na minha opinião, são de longe as principais causadoras de prejuízos aos investidores. Parabéns mais uma vez.


Chibeles comentou:

Muitas palavras para uma só ideia: controle os seus sentimentos e seja racional nas decisões!


 
Publicidade

Para apreciação de alguns e, talvez, irritação de outros, os gráficos e plataformas de operação são instrumentos valiosos para se acompanhar os mercados financeiros. Não consigo me afastar desses instrumentos...

O mercado financeiro é cheio de contradições. Os conflitos são constantes porque encerram nossos desejos instáveis de atuar como compradores e como vendedores. Enquanto nos outros mercados, os compradores aguardam os preços caírem pra comprar mais barato...

Aproveito a oportunidade para lançar uma breve discussão sobre os swaps, uma modalidade de aplicação financeira pouco utilizada no Brasil mas que nos afeta diretamente.  Swap significa troca, nesse caso, de  dois ativos com retornos e riscos diferentes. Atualmente esta havendo uma grande reversão dos swaps de moedas que, de forma célere, revela-se bastante nefasta para muitas economias...

Nesta nota vamos analisar como num dia de operação o investidor pode aumentar os ganhos num montante que daria inveja a qualquer robot dos “High frequence traders” – jogadores de alta frequência.

Quem opera o mercado financeiro e usa gráficos para analisar ativos, sabe como é frustrante determinar a direção dos preços. A confusão emana do desejo de examinar os gráficos em diferentes períodos. Sabemos que um gráfico visto com velas de um determinado tempo, pode indicar uma direção diferente daquela com velas de outro período...