Estratégia e Técnica de Operações com Ações Análise Técnica Investimentos: análise técnica, como investir na bolsa de valores (Bovespa)

Estratégia e Técnica de Operações com Ações

Professor Metafix

Estratégia e Técnica de Operações com Ações

Tenho insistido com os leitores desse do InvestMax sobre a importância do método nas negociações de valores mobiliários. Aliás, apresentei o alinhamento automático como alternativa às diferentes formas de se analisar gráficos de natureza financeira. Por outro lado, tenho alertado também para que se obedeça a tendência de forma "Duvidar em negócios é a primeira linha de defesa" incondicional. Apesar destas duas sugestões, é importante ressaltar que o leitor deve tirar suas próprias conclusões. Duvidar em negócios é a primeira linha de defesa. A prova da qualidade de qualquer produto ou idéia deve ser feita sob diferentes circunstâncias pelo interessado.

Qualquer metodologia deve fazer parte de uma estratégia clara e congruente com as características do operador. Não adianta complicar aquilo que por natureza é simples. Isso só confunde e não traz os resultados práticos que procuramos, nem com feitiço forte. Muitos operadores não estão aptos psicologicamente para operar com ativos de alto risco e têm dificuldades para seguir as regras mais simples porque a personalidade deles é incongruente com as exigências desse tipo de atividade. Este problema transcende a arte dos negócios e não pertence à técnica de quem especula, mas é importante para quem deseja operar com sucesso.

O método deve satisfazer o operador do ponto de vista psicológico e dar resultados financeiros compatíveis, pe "problema não está somente na técnica, mas também nas características pessoais de quem opera" lo menos, com o desempenho médio do mercado. Em muitos casos, o operador, antes de perguntar se está preparado para operar, embrenha-se nos meandres da análise técnica procurando um método para avaliar o mercado, mas não encontra nenhum porque o problema não está somente na técnica, mas também nas características pessoais de quem opera.

Destarte, o iniciante, ou até mesmo o experiente mal sucedido que ainda insiste nesse negócio, deve saber se está emocionalmente preparado para aceitar as regas do negócio. Comprar e vender ativos financeiros, ou outro produto qualquer, exige frieza emocional que muitas vezes não conseguimos alcançar. Infelizmente, o desejo de especular em si não garante nenhum sucesso, mas o pior é imaginar que os outros não ganham porque estão fazendo as coisas erradas. Cuidado, pois a presunção é o cemitério dos novatos e de alguns experientes afoitos!

Achar que sabe aumenta a rebeldia contra as regras tradicionais e nos leva a cometer erros grosseiros. Quando essa teimosia persiste não conseguimos corrigir os erros nem quando as perdas se acumulam além do ponto de recuperação. Muitos perdem tempo procurando a caixa de pandora, mas voltam de mãos vazias e continuam colhendo decepções amargas. E assim, o tempo passa e, se a esperança não morre e a rebeldia persiste, o bolso fica cada vez mais dolorido. Alguns não conseguem desenvolver o hábito de ganhar, e caem no costume de perder. "Achar que sabe aumenta a rebeldia contra as regras tradicionais e nos leva a cometer erros grosseiros" Prometem que vão se recuperar, mas sem uma metodologia apropriada, continuam errando até subir a favela em vez do palácio.

Venho tentando simplificar o alinhamento automático para atender o maior número de leitores, mas sem violar a lógica da metodologia porque ainda não descobri uma alternativa melhor. Apesar da clareza e da simplicidade do método, acredito que muitos leitores por duvidarem da importância dele ou por indisciplina própria tenham receios de experimentá-lo. Por isso, no resto dessa resenha, reapresentarei o sentido congênito de suas partes sem querer converter ninguém pois não se trata de uma questão de fé, mas de uma lógica incontestável.

Nada mudou desde que apresentei a versão original em dois artigos anteriores (vide link para os dois artigos no final deste). Naquelas apresentações prometi avançar nos detalhes e, dessa forma, alcançar uma maneira mais simples, porém poderosa para operar sem dor de cabeça, e sem aquelas dúvidas carregadas de "se" comum à análise gráfica tradicional. Como já ressaltei antes, mais de uma vez; o alinhamento automático não precisa de "se", mas é necessário entender "quando" deve-se agir. Isto é bastante fácil, desde que se aceite a característica ondular inerentes aos movimentos de preço e exerça a paciência necessária pra operar. As ondulações podem ser comprovadas visualmente e intuitivamente pelas leis de regressão e distribuição binomial dos preços ao longo do tempo.

A lei de regressão mostra que à medida que os preços se distanciam da média, eles voltam procurando o centro natural da própria gravidade. Por outro lado, a distribuição binomial mostra que, no curto prazo, os preços se movimentam intercalando ondas, ou sequências, positivas e negativas. A força e a consistência dessas leis corroboram com bastante clareza para a necessidade de um alinhamento entre os gráficos de um ativo em períodos "Quando estes pontos são respeitados e aceitos como início e fim de movimentos, os resultados são surpreendentes em termos de lucratividade" diferentes. Elas definem bem as marcações de suportes e de resistências. Quando estes pontos são respeitados e aceitos como início e fim de movimentos, os resultados são surpreendentes em termos de lucratividade.

O método depende da obediência incondicional a tendência dos preços e do reconhecimento das leis mencionadas; elas caracterizam as séries temporais. É importante lembrar de que a tendência pode ser definida em qualquer tempo gráfico. Mesmo quando não estamos dentro de uma tendência, as leis de regressão e distribuição continuam marcando os movimentos dos preços.

Deve ficar bastante claro para o operador que o alinhamento se faz entre um período de tempo menor com um maior. Este último define a tendência e aponta para o que deve ser feito. O outro, o período menor, diz quando devemos entrar no mercado. Quando a tendência é bem forte numa direção, o alinhamento do estocástico com a média móvel já produz bons resultados. Apenas necessitamos paciência e esperar quando o alinhamento se inicia que, pelas leis mencionadas, acontece com naturalidade surpreendente.

Aconselho acompanhar os alinhamentos com ajuda de algum indicador, como o estocástico, por exemplo, que ajuda identificar o começo e o fim dos movimentos. Uma leitura isolada, sem ajuda de osciladores, só mostrará os resultados depois dos fatos. Precisamos de algo mais preciso que respeite a probabilidade natural da distribuição estatística dos preços. A lei de regressão estatística como a distribuição binomial dos preços corroboram para mostrar porque os preços se movimentam formando ondas. Estas ondas têm duração indefinida, mas se repetem com regularidade dentro de todos os períodos que se escolha para analisar. E por que não aproveitar essa característica natural para alinhar os movimentos de tal maneira que tenhamos a maior probabilidade de acerto?

Destarte, obedecer a distribuição natural dos preços é uma forma consistente de se operar. Insisto que o método permite determinar quando se deve tomar uma decisão independente dos valores atingidos. Neste caso, o investidor precisa apenas ter paciência e ficar na moita esperando a oportunidade consciente de que ela virá.

Portanto, é lógico que se deve comprar somente quando os movimentos menores estiverem alinhados com a tendência esboçada nas velas de períodos maiores. Uma forma para se apreciar a beleza dessa lógica é acompanhar o movimento dos preços com gráficos de 10 ou 15 minutos, mas só comprar quando a média móvel e o estocástico estiverem na mesma direção. Neste caso, aconselho usar dois estocásticos sobrepostos, um curto de 5, 2, 3 e um longo de 15,1,5 para ajudar entender o alinhamento. Isto funciona muito bem quando os movimentos são fortes numa direção.

Boa Sorte!
Professor Metafix

Artigos relacionados:
Estratégia: Alinhamento Automático
Alinhando os Tempos com Análise Técnica

Seu nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Sua mensagem (opcional):
Nome: Seu Email: (não será Publicado)
Site: (opcional)
Nofiticar por e-mail novos comentários neste tópico.

Equipe Trader comentou:

As estratégias de negócios no ramo de investimento, precisam ser cuidadosamente analisadas. Identificamos uma importância muito grande neste artigo no que se diz as caracteristicas apresentadas pelos iniciantes que anceiam em resultados rápidos e se esquecem de que o planejamento individual é imprescindivel no que rege a seu sucesso. Parabéns pelo artigo, continue sempre assim .

Equipe Trader
Escola de traders


Bruno Mendonça comentou:

Parabéns pelo Blog! Excelentes os posts!


 
Publicidade

Os investidores estrangeiros representam mais de 1/3 dos négocios na bovespa. Portanto o fluxo de recursos estrangeiros tende a ditar o movimento de uma boa fatia do mercado.Veja a participação nos Contratos Futuros do IBOVESPA

Jesse Livermore talvez seja o especulador mais conhecido do mercado americano. Muitos especuladores já incorporaram as lições dele porque elas são lógicas e fazem sentido. Com muita paciência ele só entrava na hora certa como uma serpente que sabe dar o bote, mas não sai correndo atrás da presa.

Nesta nota vamos analisar como num dia de operação o investidor pode aumentar os ganhos num montante que daria inveja a qualquer robot dos “High frequence traders” – jogadores de alta frequência.

Em qualquer atividade econômica, e especialmente nos mercados financeiros, opera-se procurando diminuir os riscos dos negócios. Operar com ações que se parecem boas, mas não acompanham o mercado, é lidar com lobos solitários. Estes podem ser perigosos, mas não

Relutamos na hora de escolher uma ação porque existe um conflito mental e natural entre o útil (necessidade) e o agradável (o prazer). O cerne da solução é conciliar os desejos emocionais de tal modo que não contrariem a racionalidade financeira...